arvore011

Não é tão bom quando você encontra alguém que acredita em você?  E você conta seus projetos e esta pessoa apoia. E isto faz você se sentir tão seguro e importante?

Andei prestando atenção em algumas conversas. E estou sugerindo alterações. Fique à vontade para mandar as suas sugestões, também!

Conversa 1:

– Olha, filha! Um brinquedo para você

– Hummm… legal

– Não filha, péra. Não, não… põe o azul em cima do vermelho.

– Mas, pai…

– Não é assim que brinca. Deixa que eu faço para você…

– Mas, pai…

Teria ficado bem melhor assim:

– Olha, filha! Um brinquedo para você. Brinca aí!

– Oba!

—–

Conversa 2:

– Olha, mãe! Vou subir na árvore!

– Cuidado, filho!

– Olha, mãe, estou indo no alto!

– Desce, filho! Você vai cair!

– Não quero descer… não vou cair… eu consigo!

– Consegue nada! Desce já! Desce, senão eu levanto desta cadeira e te pego de jeito!

Seria melhor assim:

– Olha, mãe! Vou subir na árvore!

– Nossa! Que legal! Espera aí, que vou levantar daqui e vou ficar aí perto de você!

– Olha só! Estou bem no alto!

– Legal!

– Será que não vou cair?

– Se cair, eu te levanto! Estou aqui pertinho. Vai firme!

Marina

Category
Tags

2 Responses

  1. enquanto não me tornei mãe meu marido já pai de 2 meninos, me ensinou muita coisa e aprendi muito com ele, depois que o meu primeiro nasceu *arthur foi tudo bem simples, parecia que eu já havia nascido para isso, ser mãe!
    Pra mim, algumas dessas conversar vêm de pais inseguros, não em relação as crianças, mas no que eles são capazes de fazer e de conseguir, como: será se meu filho cair, vou ser capaz de pegá-lo?
    Aqui em casa não proibimos nada, preferimos mostrar como funciona, até para que quando os pequenos estiverem sozinhos não fazer sem a nossa supervisão. Isso têm dado certo. e a curiosidade de fazer algo que seria proibido pelos pais fica só naquele momento.

    Devemos aprender junto com nossos filhos, se for para acertar e errar, mas juntos, em família.
    Fica uma lição.

    beijos.

    • Oi Carla!
      Que bom saber que você se encontrou na maternidade. É mesmo muito gostoso esse jeito como a gente vai crescendo junto com os filhos. A autonomia deles é muito importante na construção da auto-estima.

      Sucesso para você !

      Beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.