Roupa sem gênero, é?

Vestidos para bebês
Vestidos para bebês, ambos os gêneros na Era Vitoriana

 

– Sem gênero, é? Ah, que legal. Daí fica mais fácil para dar presente.

– É… mas não é só isso.

==

– Sem gênero, é? Mas vai ter saia para menino?

– Não exatamente. É sem diferenciação por gênero, lembra? Não é específico para menino ou para menina. É para quem quiser vestir. E, SE o menino quiser vestir saias, por que não? A menina não veste calças?

==

No imaginário infantil, os objetos, os brinquedos, as roupas, têm significados diferentes. A criança precisa brincar e para ela tudo é brincadeira. Faça esse exercício… fique só observando uma criança pequena em qualquer atividade. Você vai ver que, em alguns minutos, ela começa a falar, fazer vozes, qualquer objeto que ela tenha nas mãos vai virar personagem de alguma história. Minhas filhas adoravam brincar de carrinhos, tinham uma frota de Hot Wheels. Às vezes eram carrinhos, às vezes eram uma família, que elas punham para dormir nas caminhas.

Da mesma forma as roupas. Uma saia pode ser uma saia, porque o menino está brincando que é a mãe, ou a professora. No outro dia, vira uma capa. O que importa é que ele está vivenciando situações e personagens em um imaginário rico e sadio, sem limitações.

Eu lembro que minha filha mais velha tinha uma saia vermelha estampada, que ela amava vestir com uma blusa cor de rosa, fazendo um conjunto bem horrorosinho. Mas era o traje preferido da guria, e em todos os lugares ela tinha que ir com aquela roupa. E ela ia. Não é isso que queremos ensinar para nossas crias? Que devem ser elas mesmas e não se preocupar com a opinião alheia? Qual era o significado daquela roupa, só ela sabia. Estava dentro da cabecinha dela, parte de alguma fantasia que ela criou.

Assim devem se vestir as crianças: de imaginação! Com tudo que seja confortável, tecidos que servem para crianças, que lhes dêem liberdade. Por isso a roupa que fazemos não tem diferenciação por gênero. Para que as crianças possam brincar das mesmas brincadeiras, possam ter as mesmas possibilidades, as mesmas oportunidades e o mesmo conforto. Para que possamos fugir dos estereótipos que, por exemplo, dizem que uma menina tem que ser princesa. Ela pode ser, se quiser. Mas ela precisa ter a oportunidade de não ser. Assim também os meninos, precisam ter a oportunidade de expressar seus sentimentos, não precisam ser durões e radicais o tempo todo.

E para quem acha que as roupas são mais do que um reflexo dos costumes da sociedade, é bom dar uma olhadinha nestas fotos. Claro que, nesta época a infância não era tratada como é hoje, mas é curioso de ver como os costumes vão mudando e as pessoas – nós todos, conscientemente ou não – simplesmente seguimos o padrão. Essas fotos são de meninos, na Era Vitoriana (1834-1901). Vestiam vestidos desde bebês, porque era mais fácil trocar fraldas – até em torno de 5 anos de idade (fotos daqui). A foto do início do post são vestidos de bebê, comuns aos dois gêneros.

Menino de vestido na Era Vitoriana
Menino de vestido na Era Vitoriana
Menino de cabelos longos, vestido e chapéu na Era Vitoriana
Menino de cabelos longos, vestido e chapéu na Era Vitoriana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu ainda estou viva e nem sou tão velha assim, mas a minha mãe e a geração dela não vestiam calças compridas. Isso nos anos 40. Uma geração acima da minha. É pouco tempo. A história vai falar do final do século XIX, mas aqui no nosso Brasil, só lá pelos anos 50 é que as calças se tornaram uma peça comum do vestiário feminino. Hoje ninguém questiona, todos usamos e nem saberíamos como viver sem elas. As pessoas simplesmente se acostumam, deixa de ser novidade.

Por isso não adianta ter medo, achar que os tempos estão mudando! Calma, o que hoje é um absurdo, amanhã é corriqueiro. Vou deixar três links que tem muitas fotos de homens de saias. Porque breve, amigos, eles estarão nas ruas e talvez na sala da sua casa! E vamos todos achar muito bonito.

Blog Moda para Homens, Blog Lilian Pacce, BuzzFeed

visite o outletPowered by Rock Convert

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.