Presas no estacionamento

Presas no estacionamento

Perdi o talão do estacionamento. Foi sábado no supermercado. Pior do que isso: só percebi que tinha perdido quando já estava na cancela. Daí já viu, né?

Perder alguma coisa é horrível, perder e ter que encontrar sob pressão é o inferno!  Os papéis se multiplicam, a bolsa escorrega, o cara no carro de trás buzina, e tudo ao mesmo tempo.

Fazer o quê? Respira e continua a procurar. No bolso da calça, quem sabe? Nada.

Daí o rapazinho do carro de trás, aquele mesmo que já tinha buzinado, desce do carro. Certamente tinha um compromisso muito sério, considerando o grau do nervosismo. Afinal, foram alguns minutos de demora, dois, três? Para mim, pareceram horas. Talvez para ele também. Ele desce do carro e retira um dos cones de sinalização para poder passar para a cancela do lado. E, indignadíssimo de raiva, olha para nós e diz:

– Que falta de respeito!

Neste momento, todas as minhas possibilidades de busca esgotadas, saio do carro para pedir ao novo vizinho de trás que afaste o carro para eu poder dar a ré e sair da fila. Este era já um senhor. E, rindo, me diz, antes que eu pudesse falar qualquer coisa:

– Você perdeu, né?

Rimos, ele afastou o carro, liberei a cancela, fui até o guichê do estacionamento, apresentei 3 dúzias de documentos, respondi um questionário e ganhei um tíquete novo que me permitiu, finalmente, abrir a cancela.

Mas… que juventude intolerante, não? Pena um sujeito tão jovem já sofrer tanto com a raiva e o estresse. Ser gentil é tão fácil e tão melhor!

Marina

visite o outletPowered by Rock Convert
Tags

2 Responses

  1. É tão engraçado esse pessoal que não tem tempo pra ser feliz né?
    Que levam tudo tão á sério e que acham que são o centro do universo…
    O bom é nem todos são assim.
    Beijo no coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.